quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Resenha - Divergente



Título: Divergente
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Classificação: 
Páginas: 504
Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções - Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição - e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que poderá ter desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


Resenha: Após anos de guerra, onde a população se extinguiu,  Chicago foi fechada e sua sociedade foi dividida em cinco grupos denominados por facções.
 As facções são foram divididas por personalidade.
 Temos a Abnegação, onde pertencem os altruístas. A Amizade, os pacíficos. A Audácia,os corajosos. A Erudição, os inteligentes, e a Franqueza, onde pertencem os honestos.
Todo jovem que completa dezesseis anos é obrigado a fazer o teste de aptidão onde é determinado uma única facção para qual ele irá pertencer.
"Os que culpavam a agressividade formaram a Amizade.Os que culpavam a ignorância se tornaram a Erudição.Os que culpavam a duplicidade fundaram a Franqueza. Os que culpavam o egoísmo geraram a Abnegação. E os que culpavam a covardia se juntaram à Audácia." 
 A história gira em torno de Beatrice Prior, uma garota de dezesseis anos que nasceu na facção da Abnegação e está prestes a fazer o teste de facções.
Mas  o que Tris não imagina é que o resultado de seu teste lhe daria mais de uma facção e que pessoas assim como ela, (com testes inconclusivos) são chamadas de Divergentes, pois elas não podem ser controladas pelos soros de testes.
Mas  essas pessoas são consideradas pelo atual governo uma ameaça ao sistema. Por isso, Beatrice tem de esconder de todos o que realmente é.
Mas será que Tris escolheu a facção certa para se esconder? Será que ela fará a escolha certa?
"Meu pai diz que quem quer poder e o ganha vive com medo de perdê-lo. Por isso é que temos que dar o poder a quem não quer tê-lo."
"Eu gostaria de sentir vontade de chorar, porque as lágrimas poderiam me trazer um sentimento de liberação, mas eu não sinto nada."


Divergente foi o tipo de livro que não me chamou a atenção com a sinopse, e nem com a introdução, Mas como sou uma leitora que gosta de ler de tudo um pouco, resolvi arriscar e realmente o livro foi surpreendente!.
Para mim a narrativa da autora foi cansativa e teve horas em que pensei em largar o livro e procurar outro para ler, mas em certos momentos e cenas, a história corre de um jeito que você acaba se prendendo novamente no livro e se acostuma com o tipo de escrita da autora.
Não me arrependo de ter lido Divergente e os outros 2 livros da trilogia, acho que é o tipo de livro que todos precisam ler pelo menos uma vez!
O filme também ficou incrível, achei a adaptação muito fiel ao livro, os personagens ficaram legais e as cenas  de ação ficaram fantásticas!.
Recomendo para as pessoas que amam distopias cheias de ação, mistério e revolução. 
"Não é certo desejar a dor em outras pessoas apenas porque elas me machucaram primeiro."


3 comentários

  1. Opa! Eu amo distopias, e ainda não li esse, fiquei até surpresa você não ter dado a nota máxima! Até te entendo por querer largar o livro, narrativas lentas são péssimas. Acho que as distopias estão muito parecidas, ainda não vi algo 100% original, mas acho que não posso exigir isso. Divergente ainda não se tornou uma prioridade de leitura, porque acho "parecido" com thg. Talvez eu esteja enganada, e espero que sim. Beijão, e feliz ano novo!
    http://respiralivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Rsrs! muita gente acha que é parecido com thg, mas cada um tem um enredo diferente. :D
    Feliz Ano novo para você também!
    Sucesso no seu blog! :)

    ResponderExcluir
  3. Concordo que o filme foi super fiel ao livro!
    Comigo aconteceu o seguinte: meu namorado mandou escolher um filme pra ver e eu gostei da capa desse, mas nem li a sinopse direito.
    ME APAIXONEI DE CARA
    Aí foi inevitável comprar os livros ♥
    Até hoje não li Convergente porque me recuso a me despedir hahaha

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo